Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

gonn1000

Muitos discos, alguns filmes, séries e livros de vez em quando, concertos quando sobra tempo

Muitos discos, alguns filmes, séries e livros de vez em quando, concertos quando sobra tempo

50 de 2009

Com o ano prestes a terminar, deixo aqui algumas escolhas dos filmes, discos, canções e concertos que mais me marcaram em 2009.

 

Como sempre, ficou muita coisa por ver e ouvir (em especial no grande ecrã durante o segundo semestre), por isso alertas de ausências imperdoáveis são sempre bem-vindos. E como este deverá ser o último post deste ano, ficam aqui também os votos de um bom 2010. Até breve.

 

10 filmes

 

 

1 - "Gran Torino", Clint Eastwood

2 - Quem Quer Ser Bilionário?", Danny Boyle

3 - "Watchmen - Os Guardiões", Zack Snyder

4 - "Sacanas Sem Lei", Quentin Tarantino

5 - "Up - Altamente!", Peter Docter

 6 - "Duplo Amor", James Gray 

7 - "Revolutionary Road", Sam Mendes

8 - "O Estranho Caso de Benjamin Button", David Fincher

9 - "Ligações Perigosas", Kevin MacDonald

10 - "Vicky Cristina Barcelona", Woody Allen

 

"Breathless", de Yang Ik-Juke (exibido no IndieLisboa), e "Pour un Instant La Liberté", de Arash T. Riahi (um dos filmes da Festa do Cinema Francês), entrariam no top 5 caso tivessem estreado em Portugal

 

10 discos internacionais

 

 

1 - "It's Blitz!", Yeah Yeah Yeahs

2 - "Dance Mother", Telepathe

3 - "Two Suns", Bat For Lashes

4 - "xx", The xx

5 - "Tarot Sport", Fuck Buttons

6 - "Lungs", Florence and the Macine

7 - "Victorian America", Emily Jane White

8 - "Ciao!", Tiga

9 - "Fantasies", Metric

10 - "Still Night, Still Light", Au Revoir Simone

 

10 discos nacionais

 

 

1 - "Zoetrope", Micro Audio Waves

2 - "Femina", The Legendary Tigerman

3 - "doismileoito", doismileoito

4 - "Virgem Suta", Virgem Suta

5 - "Jamboree Park at the Milky Way", The Weatherman

6 - "Virou!", Diabo na Cruz

7 - "La Resistance", Ölga

8 - "Tasca Beat: O Sonho Português", OqueStrada

9 - "Teratron", Teratron

10 - "Transumâncias Groove", Uxu Kahlus

 

10 canções

 

 

1 - "So Fine", Telepathe

2 - "Dry Blood", Parallels

3 - "Heads Will Roll", Yeah Yeah Yeahs

4 - "Siren Song", Bat For Lashes

5 - "Gimme Sympathy", Metric

6 - "Growls Garden", Clark

7 - "Mathematics", Little Boots

8 - "Love Don't Dance Here Anymore", Tiga

9 - "Beatbox", The Sounds

10 - "Sunshine Sunlight", Micro Audio Waves

 

10 concertos

 

 

1 - Depeche Mode no Pavilhão Atlântico

2 - The Prodigy no Alive!

3 - The Prodigy no Pavilhão Atlântico

4 - Kap Bambino em Paredes de Coura

5 - Crystal Castles no Alive!

6 - Telepathe na ZDB

7 - Kylie Minogue no Pavilhão Atlântico

8 - Peter Broderick + Nils Frahm no MusicBox

9 - The Hives em Paredes de Coura

10 - Nine Inch Nails em Paredes de Coura

 

Um sacana entre os melhores

 

Christoph Waltz, na pele do Coronel Nazi Hans Landa, destaca-se entre as figuras mais memoráveis deste ano cinematográfico. Personagem de "Sacanas sem Lei", de Quentin Tarantino, foi considerado o melhor vilão de 2009 pela equipa do SAPO Cinema.

 

As restantes escolhas feitas por mim, pela Inês Gens Mendes e pelo Luís Salvado - entre elas os 10 melhores filmes do ano - estão disponíveis aqui.

 

Estreia da semana: "Um Profeta"

 

Venceu o Grande Prémio do Júri do Festival de Cannes e é o candidato francês ao Óscar de Melhor Filme Estrangeiro, mas "Um Profeta" nem precisava dessas distinções para suscitar curiosidade.

 

"Nos Meus Lábios" ou "De Tanto Bater o Meu Coração Parou" provaram que Jacques Audiard é um realizador a acompanhar, e na sua nova obra segue os seis anos de um jovem delinquente árabe numa prisão francesa.

 

Se mantiver o realismo cortante e a carga claustrofóbica dos seus antecessores, esta combinação de drama e policial será o último filme obrigatório a chegar a salas nacionais este ano. E a primeira recomendação cinematográfica para 2010.

 

Outras estreias:

 

"2 Amas de Gravata", de Walt Becker

"As Vidas Privadas de Pippa Lee", de Rebecca Miller

 

 

e-Cinema: Corrida ao Óscar de Melhor Filme Estrangeiro

 

Filmes dos 00s (5): "O Despertar da Mente"

 

Filme: "O Despertar da Mente", 2004

Realizador: Michel Gondry

 

Prodigiosa desconstrução dos modelos da comédia romântica, o segundo filme de Michel Gondry junta o melhor argumento do sempre inventivo Charlie Kaufman a duas das interpretações mais inspiradas da dupla protagonista - Jim Carrey (num registo contido em que infelizmente aposta poucas vezes) e Kate Winslet (esta sem grandes surpresas, ou seja, a manter a excelência habitual).

 

Com uma narrativa imaginativa, uma sensibilidade certeira e um trabalho de realização que tanto funciona nos momentos realistas como nos mais surreais, esta é uma das pérolas indie da década. Mais sobre o filme aqui.

 

No vídeo abaixo ficam algumas cenas acompanhadas por "Everybody's Gotta Learn Sometimes", versão perfeita de Beck para uma canção original dos Korgis (e peça central da banda-sonora):

 

 

Salaviza e os outros

 

João Salaviza, jovem realizador lisboeta, foi uma das figuras de 2009 ao vencer a Palma de Ouro de Melhor Curta-Metragem no Festival de Cannes, atribuída a "Arena".

 

Ao longo dos últimos doze meses houve muitos outros nomes ou acontecimentos que, pelos mais diversos motivos, justificam a presença num balanço de 2009 - e alguns deles podem ser vistos aqui, no especial ano em revista do SAPO Notícias.

 

Discos dos 00s (5): "Black Market Music"

 

Álbum: "Black Market Music", 2000

Artista: Placebo

 

"Without You I'm Nothing" (1998) já era um grande disco, mas o terceiro álbum dos Placebo conseguiu elevar ainda mais a fasquia e continua a ser a obra-prima do trio.

 

Muito longe do desgaste dos registos mais recentes, aqui as canções mostram-se mais negras e sedutoras do que nunca, tanto as que permanecem fiéis aos modelos dos primeiros dias como as que acolhem saudáveis contaminações electrónicas (que nunca roubam o protagonismo às guitarras).

 

Ecléctico mas coeso, "Black Market Music" ancora-se, tal como os antecessores, na densidade (e ambiguidade) lírica e interpretativa de Brian Molko, aqui menos colada a influências (assumidas) e mais capaz de definir um rumo próprio e intrigante. Perderia esse encanto poucos álbuns depois, é certo, mas aqui mantém-se ainda muito aconselhável.

 

 

Placebo - "Taste in Men"

 

Pág. 1/8