Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

gonn1000

Muitos discos, alguns filmes, séries e livros de vez em quando, concertos quando sobra tempo

Muitos discos, alguns filmes, séries e livros de vez em quando, concertos quando sobra tempo

50 de 2011

Em 2011, no que toca a listas, não muda a sensação deixada por balanços de outros anos: daqui a uns meses (ou dias?), a selecção seria certamente diferente. E tendo em conta os discos que ficaram por ouvir (e por digerir - não é bem a mesma coisa), número que vai parecendo cada vez maior - o mesmo vale para os filmes -, o retrato só pode ser muito parcial. Mas deixando as habituais ressalvas de lado, de 2011 guardam-se sobretudo estes. Quaisquer recomendações são, como sempre, muito bem-vindas.

 

10 filmes

 

 

1 - "A Nossa Vida", Daniele Luchetti

2 - "X-Men: O Início", Matthew Vaughn

3 - "Cisne Negro", Darren Aronofsky

4 - "A Pele Onde Eu Vivo", Pedro Almodóvar

5 - "Tournée - Em Digressão", Mathieu Amalric

6 - "Sem Tempo", Andrew Niccol

7 - "Jane Eyre", Cary Fukunaga

8 - "Gritos 4", Wes Craven

9 - "Blue Valentine - Só Tu e Eu", Derek Cianfrance

10 - "Kaboom - Alucinação", Gregg Araki

 

10 discos internacionais

 

 

1 - "Let England Shake", PJ Harvey

2 - "Feel It Break", Austra

3 - "Wounded Rhymes", Lykke Li

4 - "Wolfram", Wolfram

5 - "Talk About Body", MEN

6 - "Nuit de Rêve", Scratch Massive

7 - "Le Danse", Slove

8 - "Gravity the Seducer", Ladytron

9 - "Share the Joy", Vivian Girls

10 - "Past Life Martyred Saints", EMA

 

10 discos nacionais

 

 

1 - "Automático", Mesa

2 - "Mútuo Consentimento", Sérgio Godinho

3 - "Disco Voador", Clã

4 - "Os Gloriosos Smix Smox Smux Derrotarão os Exércitos Capitalistas", Smix Smox Smux

5 - "In Loving Memory of...", Tiguana Bibles

6 - "Pés Frios", doismileoito

7 - "Animal", Osso Vaidoso

8 - "Com Todo o Respeito", Jorge Palma

9 - "Infectious Affectional", X-Wife

10 - "The Cherries That Went to the Police", Rita Braga

 

10 singles

 

 

1 - "What the Water Gave Me", Florence + The Machine

2 - "The Glorious Land", PJ Harvey

3 - "I Follow Rivers", Lykke Li

4 - "Painted Eyes", Hercules and Love Affair

5 - "The Words That Maketh Murder", PJ Harvey

6 - "Vanessa", Grimes

7 - "Time of My Life", Patrick Wolf

8 - "City Grrrl", Cansei de Ser Sexy

9 - "Take Me There", Scratch Massive feat. Jimmy Somerville

10 - "Marked", EMA

 

10 concertos

 

 

1 - Arcade Fire no Super Bock Super Rock

2 - Hercules and Love Affair no Lux

3 - Crystal Castles no Ritek Paredes de Coura

4 - Kele no Optimus Alive

5 - Cut Copy no Coliseu dos Recreios

6 - EMA no Vodafone Mexefest

7 - Cansei de Ser Sexy no TMN ao Vivo

8 - Lykke Li no Super Bock Super Rock

9 - PJ Harvey na Aula Magna

10 - The Chemical Brothers no Optimus Alive

 

Uma estreia com fogo de artifício

 

Com viagens entre o italo disco e o electro, a synth pop e o Hi-NRG, o álbum de estreia homónimo de Wolfram junta algumas das canções mais contagiantes do ano sem que, ao contrário do que por vezes acontece em discos de música de dança, acabe por parecer mais uma compilação.

 

O mérito não é só do DJ austríaco (também conhecido como Diskokaine, nome da editora que criou), mas das colaborações que preenchem quase todo o alinhamento e incluem nomes relativamente recentes, como os Holy Ghost! ou Sally Shapiro, e veteranos algo esquecidos, caso de Haddaway (sim, esse) ou Paul Parker. Ou os seus amigos Hercules and Love Affair, convidados de um dos singles, "Fireworks", que ficaria muito bem, por exemplo, numa festa de passagem de ano:

 

Revisitações numa pista de dança

 

Apontam os Slowdive ou os Stone Roses entre as influências e, no seu disco de estreia, "Le Danse", os Slove sugerem outros velhos conhecidos de finais de 80/inícios de 90 (as lições dos My Bloody Valentine, The Beloved ou Cocteau Twins também parecem ter eco por aqui).

 

Mas o cruzamento de guitarras e electrónica do projecto francês faz, sobretudo na produção, a ponte com o presente em canções que não destoariam ao lado das dos Soulwax ou Chew Lips. Por vezes numa eventual pista de dança, como no single "Do We Need?", um dos momentos mais hedonistas de um álbum que também vale a pena ir descobrindo noutros ambientes. Eis o vídeo que acompanha o tema:

 

Pág. 1/5