Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

gonn1000

Muitos discos, alguns filmes, séries e livros de vez em quando, concertos quando sobra tempo

Muitos discos, alguns filmes, séries e livros de vez em quando, concertos quando sobra tempo

No conforto da house

 

Maya Jane Coles fez-se notar, nos últimos anos, através de várias remisturas (para gente como The xx, Massive Attack, Florence & The Machine ou Little Dragon) e de outros tantos originais, alguns reunidos em EPs .

Agora, com o álbum de estreia, a britânica promete ir mais longe, não só porque "Comfort" é um seguríssimo longa-duração, mas também porque vai além da house dos primeiros passos e lança-se ao dub ou ao R&B num ponto de equilíbrio - nem sempre fácil, embora aqui pareça espontâneo - entre a música de dança e a pop.

 

Composto, produzido e, em quase metade dos temas, cantado pela própria, o alinhamento mantém o gosto pelas colaborações - Tricky ou Miss Kittin, ambos com regressos inspirados este ano - e tanto pode moldar-se à hora de ponta dos clubes como à calmaria de serões caseiros.

Sem precisar de gritar a novidade a cada batida, o todo é coerente e algumas partes são excepcionais, caso de "Everything", com a voz de Karin Park, e "Burning Bright", cantada por Kim Ann Foxman (dos Hercules & Love Affair), que podem ouvir-se abaixo com os respectivos videoclips. E para quem quiser ir descobrindo o que está para trás, há muito, muito mais à disposição na aconselhável página do Souncloud da londrina.