Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

gonn1000

Muitos discos, alguns filmes, séries e livros de vez em quando, concertos quando sobra tempo

Muitos discos, alguns filmes, séries e livros de vez em quando, concertos quando sobra tempo

Dar o corpo ao manifesto

dream_wife_2017

 

"I am not my body/ I am somebody", insiste Rakel Mjöll no novo single das DREAM WIFE, sucessor natural da postura feminista de uma banda que aqui também parece olhar para questões da identidade de género. E se a letra de "SOMEBODY" se debruça sobre o corpo, a música provoca-o com o fraseado e atitude da vocalista, bem acompanhada por guitarras de alma pós-punk.

 

Um ano depois de "EP01", de temas como "Loilta" e a caminho do álbum de estreia, a canção deixa novos motivos para ir seguindo o trio de duas britânicas e uma islandesa, cujo revivalismo soa mais emplogante do que o de outras descendências do rock alternativo dos anos 80. Já o videoclip deixa a ideia de que essa garra é ainda mais imponente em palco, o que ajuda a explicar o burburinho em festivais como o SXSW: