Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

gonn1000

Muitos discos, alguns filmes, séries e livros de vez em quando, concertos quando sobra tempo

Muitos discos, alguns filmes, séries e livros de vez em quando, concertos quando sobra tempo

Há uma luz que nunca se apaga

 

Talvez ainda mais do que os anteriores, o quinto álbum de Mirah, "Changing Light", tem passado algo despercebido mas merece figurar entre os melhores conjuntos de canções dos últimos tempos. A voz da norte-americana continua tão fresca como na estreia, "You Think It's Like This but Really It's Like This" (2000), e o alinhamento, apesar de conter apenas dez temas, é talvez o mais versátil de uma discografia habituada a contornar os lugares comuns da folk e do rock há uns anos chamado de alternativo.

 

Entre o electrónico e o acústico, a euforia e a contenção, a composição tem sempre arranjos à altura num disco outonal mas capaz de atravessar vários estados de espírito. "No Direction Home" é dos momentos mais introspectivos e um bom exemplo de uma manta instrumental que sabe como conjugar elementos. Mirah combina e alterna sopros, teclas, percussão e cordas sem nunca tornar a canção numa montra barroca e virtuosa, deixando a voz comandar os acontecimentos com sobriedade. O videoclip é ainda mais discreto e aproveita a vista (desfocada) de um farol de Massachusetts numa noite chuvosa. E nem mesmo a intromissão de fogos de artifício dá sinais de qualquer espalhafato: