Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

gonn1000

Muitos discos, alguns filmes, séries e livros de vez em quando, concertos quando sobra tempo

Muitos discos, alguns filmes, séries e livros de vez em quando, concertos quando sobra tempo

Uma segunda juventude

blondage

 

No ano passado, Essen Andersen e Pernille Smith-Sivertsen editaram um dos melhores álbuns que quase ninguém ouviu. "Straitjacket", o segundo disco dos Rangleklods, teve alguma repercussão entre os adeptos de música de dança obscura q.b. mas poderia ter ido mais longe - singles como "Lost U", por exemplo, mereciam lugar cativo em sunset parties um bocado mais arriscadas.

 

Ainda assim, a dupla dinamarquesa não dá sinais de parar pelo caminho, mesmo que proponha agora um recomeço. E recomeça logo pelo nome. BLONDAGE, combinação de "blond" e "bondage", traduz de forma mais eficaz a combinação entre inocência e agressividade da música do projecto, justifica o duo. E convenhamos que também será um nome mais facilmente digerível do que o anterior, o que pode ajudar alguma coisa.

 

Essa proximidade mantém-se, aliás, no tema que apresenta a nova fase e o próximo EP, a editar a 16 de Setembro. "DIVE" é mais acessível do que grande parte do que se ouvia nos álbuns dos Rangleklods, com uma viragem house integrada na estrutura de canção pop a abrir caminho para tardes e noites veraneantes. Se Lykke Li fosse remisturada por Jamie XX e depois pelos AlunaGeorge, talvez soasse a este primeiro avanço.

 

O single mergulha de cabeça no hedonismo ("I might be all outta money/ But I do what I want/ If I'm forever high/ They'll never see me low"), mas no videoclip a dupla não se esquece da subversão pela qual também se distinguiu: em vez de acompanhar o ambiente de festa, aposta numa narrativa paralela com farpas à sociedade de consumo - e ao consumo de carne em particular: