Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

gonn1000

Muitos discos, alguns filmes, séries e livros de vez em quando, concertos quando sobra tempo

Muitos discos, alguns filmes, séries e livros de vez em quando, concertos quando sobra tempo

NÃO HÁ FOME QUE NÃO DÊ EM FARTURA

Já não tinha esperanças de os ver por estes lados, mas as surpresas surgem quando menos se espera. Segundo o site oficial da banda, os Nine Inch Nails actuam em Portugal em Fevereiro de 2007, em três concertos (sim, três!) no Coliseu de Lisboa, nos dias 10, 11 e 12. Já há quem diga que vai aos dias todos, eu não prometo tanto mas não quero perder a oportunidade (única? acho que sim) de ver umas das referências do rock das últimas décadas.
Aqui fica o vídeo de "Only" (versão remisturada), um dos temas de "With Teeth", o disco mais recente do projecto de Trent Reznor. A realização é de um tal de David Fincher :)

ESTREIA DA SEMANA: "OS FILHOS DO HOMEM"

Se por um lado realizou um filme memorável e contagiante, "E a Tua Mãe Também", o mexicano Alfonso Cuarón não se mostrou tão inspirado nas restantes obras da sua filmografia ("A Princezinha", "Grandes Esperanças", "Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban"), competentes mas não mais do que isso.
Esperemos que tenha regressado a uma fase mais recomendável neste "Os Filhos do Homem" (Children of Men), um thriller futurista centrado num mundo em colapso devido a um problema de infertilidade que afecta toda a população. Até ao dia em que uma mulher engravida, e cabe ao Clive Owen salvá-la. A Julianne Moore também anda por lá, e se os dois protagonistas são um bom motivo para ir ver o filme espero que não sejam o único. Uma dúvida a esclarecer em breve...

Outras estreias:

"A Prairie Home Companion - Bastidores da Rádio", de Robert Altman
"O Diabo Veste Prada", de David Frankel
"O Último Caçador", de Nicolas Vanier
"Quanto Me Amas?", de Bertrand Blier
"Vinicius", de Miguel Faria Jr.

6 COISAS

Respondendo ao desafio do André, cá ficam:
1 - Quando comecei o blog costumava recorrer a este tipo de desafios e testes quando não tinha assunto; nos últimos tempos perdi o hábito, o que acho que é bom;
2 - Há tanta coisa nova por ouvir mas opto antes por um disco dos Stereo MC's e ontem por outros dos Catatonia e dos Orbital;
3 - O meu irmão faz anos no sábado e ainda não sei o que vou oferecer-lhe (entretanto aceito sugestões);
4 - As reuniões de condomínio não são tão más como pensava mas ainda assim fazem com que me aborreça por antecipação;
5 - Chateia-me quando abrem a minha janela do msn e me impingem links para os seus blogs ou fotologs (yuck!) sem sequer cumprimentarem antes (e sobretudo depois);
6 - Tenho por hábito arranjar desculpas para não arquivar em condições toda a papelada que diga respeito a burocracias.
Passa a outro e não ao mesmo: Challenger/MykeSas, Extravaganza, HelloRufus, Lid, LifeChaser e Sunday Morning.

7ª FESTA DO CINEMA FRANCÊS

Entre 4 e 21 de Outubro, o Cinema São Jorge e o Instituto Franco-Português acolheram a 7ª edição da Festa do Cinema Francês em Lisboa. Estive presente em algumas sessões a convite do Cinema 2000 e abaixo ficam as críticas dos filmes que vi por lá:

“Dans Paris”, de Christophe Honoré
“Gentille”, de Sophie Fillières
“Ils”, de David Moreau e Xavier Palud
“Le Passager”, de Eric Caravaca
“Palais Royal!”, de Valérie Lemercier
“Renaissance”, de Christian Volckman
“Suzanne et les Vieillards”, de Viviane Candas
“Vers le Sud”, de Laurent Cantet

"GENTILLE", de Sophie Fillières

Movendo-se entre a comédia e o drama, “Gentille” centra-se numa jovem médica e relata as suas atribulações tanto a nível profissional como, sobretudo, pessoal, em particular a inquietação que a envolve quando o seu companheiro a pede em casamento.

Sophie Fillières insere no seu filme um olhar atento a pequenos episódios do quotidiano, e a acção tem início com um curioso e divertido jogo e equívocos, gerados a partir de uma escrita apurada e da subtil contenção de Emmanuelle Devos, que encarna a protagonista. É pena que “Gentille” nem sempre mantenha essa frescura e espontaneidade iniciais, incidindo depois em territórios mais convencionais que o levam e perder o fôlego na última meia hora, embora nunca deixe de ser um esforço simpático e agradável.
E O VEREDICTO É: 2,5/5 - RAZOÁVEL