Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

gonn1000

Muitos discos, alguns filmes, séries e livros de vez em quando, concertos quando sobra tempo

Muitos discos, alguns filmes, séries e livros de vez em quando, concertos quando sobra tempo

Version 3.0

 

Mesmo quem não é especial admirador dos Crystal Castles acabou por aderir à nova versão de "Not in Love", agora com a voz de Robert Smith - canção que, por sua vez, já era uma versão de um tema dos Platinum Blonde.

 

O single, o terceiro do ainda viciante "Crystal Castles", tem um videoclip acabado de estrear, apropriadamente onírico e nebuloso - embora fique, como já é habitual no duo canadiano, uns furos abaixo da canção. Aqui está ele:

 

 

Crystal Castles feat. Robert Smith - "Not in Love"

 

Estreia da semana: "Tron: O Legado"

 

Há quase 30 anos, "Tron" (1982) tornou-se marcante pela forma como projectou o futuro no grande ecrã, sobretudo devido ao uso de efeitos especiais.

De então para cá, a fasquia nesse campo foi subindo cada vez mais, mas isso não impediu a chegada de uma sequela, cuja realização foi entregue ao estreante Joseph Kosinski.

 

O tempo também passou pela saga, que agora segue os passos do filho do protagonista do filme anterior e a sua jornada - numa realidade cibernética - para encontrar o pai (mais uma vez interpretado por Jeff Bridges).

 

Depois de Wendy Carlos, cuja música acompanhou as imagens do primeiro filme, outra coqueluche electrónica volta a assinar a banda-sonora: neste caso, os Daft Punk. E a julgar pelo trailer de "Tron: O Legado", esta sequela parece trazer mais uma dose de boas ideias visuais. Espera-se que não sejam as únicas.

 

Esta semana chegam mais cinco filmes às salas

 

 

e-Cinema: O regresso de "Tron", quase 30 anos depois


Adeus Amy, olá Kylie

 

Com "Rockferry", há dois anos, não foram poucos os que a acusaram de ser uma derivação sem sal de Amy Winehouse - muito por culpa do single "Mercy", que não andava mesmo muito longe de "Rehab".

 

Agora ouve-se o segundo álbum de Duffy, "Endlessly", e a recuperação da soul e R&B vintage, não sendo totalmente esquecida, dá lugar a temperos disco e funk. Adeus Amy, olá Kylie? É o que o borbulhante (e delicioso) tema de abertura, "My Boy", começa por sugerir, ainda que o restante alinhamento nem sempre confirme. Mas, surpresa, há resultados felizes tanto em momentos baladeiros ("Too Hurt to Dance", "Hard for the Heart") como nos mais ostensivamente pop ("Lovestruck", o single "Well, Well, Well" ou "Keeping My Baby", este um aconselhável pastiche de "Papa Don't Preach", de Madonna).

 

Albert Hammond (pai do guitarrista dos Strokes, que manteve o nome) terá algo a ver com esta mudança, ocupando aqui o papel de mentor que Bernard Butler, ex-guitarrista dos Suede, teve em "Rockferry". E o toque de Midas de Stuart Price é evidente no brilho da produção, amparando uma voz que nem sempre imprime a personalidade desejada às composições - mas que está de parabéns por ser a protagonista de um sólido segundo álbum.