Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

gonn1000

Muitos discos, alguns filmes, séries e livros de vez em quando, concertos quando sobra tempo

Muitos discos, alguns filmes, séries e livros de vez em quando, concertos quando sobra tempo

Cinco tardes, cinco filmes

 

Uma das obras (e transfigurações) mais populares protagonizadas por Gérard Depardieu dá início ao próximo ciclo de cinema do Instituto Franco-Português.

 

"Cyrano de Bergerac" (1990), o filme-sensação de Jean-Paul Rapeneau, é exibido nesta segunda-feira e também o primeiro de cinco com um elemento comum: são todos adaptações literárias.

 

No dia seguinte, o ciclo "Quando o Cinema Namora a Literatura" propõe "Les Dames du Bois de Bologne" (1945), de Robert Bresson, e mais para a frente "La Belle et la Bête" (1946), de Jean Cocteau, dia 17; "Vipère au Poing" (2003), de Philippe de Broca, dia 18; e "Madame Rosa" (1977), de Moshé Mizrahi, dia 24.

 

As sessões arrancam sempre às 19 horas e, como é habitual, são todas de entrada livre. Mais informações no site do IFP.

 

Estreia da semana: "Chloe"

 

"Chloe" tem, à partida, vários ingredientes apetitosos: é realizado por Atom Egoyan, cujo currículo inclui o estranho "Exotica" ou o belíssimo (e também algo estranho) "O Futuro Radioso" (um dos grandes dramas dos anos 90); o argumento é de Erin Cressida (que assinou a "A Secretária", a obsessiva comédia romântica de Steven Shainberg) e o elenco é liderado por Julianne Moore, Liam Neeson e Amanda Seyfried.

 

Este trio de actores compõe o triângulo amoroso da narrativa, que arranca quando uma mulher da classe média alta (Moore) contrata uma prostituta de luxo (Seyfried) para seduzir o seu marido (Neeson), a machadada final (ou não) num novelo de suspeitas de traição - e também a premissa de "Nathalie..." (2003), de Anne Fontaine, do qual "Chloe" é um remake.

 

Apesar dos bons ingredientes, parte da crítica internacional tem considerado este thriller psicológico/erótico de gosto duvidoso (à semelhança do que ocorreu com "Onde Está a Verdade?", que mergulhava nos mesmos subgéneros). Mas como o filme anterior do realizador canadiano, "Adoration" (2008), nem sequer chegou a salas nacionais, só o facto de "Chloe" ter direito a estreia já é bom sinal.

 

Esta semana chegam mais dois filmes às salas

 

 

Angelina Jolie e Johnny Depp em "O Turista"