Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

gonn1000

Muitos discos, alguns filmes, séries e livros de vez em quando, concertos quando sobra tempo

Muitos discos, alguns filmes, séries e livros de vez em quando, concertos quando sobra tempo

Uma grande actuação com falta de ligação

Os últimos tempos têm corrido bem aos Micro Audio Waves. Depois de "Odd Size Baggage", o disco mais recente do trio, ter sido dos lançamentos nacionais mais elogiados do ano passado, a banda foi distinguida nos Qwartz Awards (pela terceira vez, na categoria de Melhor Canção dos prémios franceses de música electrónica) e tem actuado regularmente em várias cidades europeias.

 

Essa vasta rodagem em palco terá contribuído para que a noite de sábado no Grande Auditório do Centro Cultural de Belém confirmasse, mais uma vez, que o projecto de Claudia Efe, Flak e C. Morg possui uma evidente química e eficácia ao vivo.

Acolhido por uma sala bem preenchida, o grupo nunca quebrou o ritmo ao longo de quase duas horas onde revisitou os seus dois álbuns, mesmo que algumas canções já nem tenham muito a ver com as versões gravadas. E ainda bem, pois a contribuição de dois músicos-extra - Francisco Rebelo (Cool Hipnoise) no baixo e o Fred (Rádio Macau) na bateria - ajudou a reforçar a carga física de composições electrónicas tendencialmente cerebrais.

 

Micro Audio Waves

 

Além do acréscimo instrumental, a mutação das canções deveu-se aos aparentes improvisos da banda, desde devaneios explosivos com regulares rasgos de electricidade (controlados e nunca exibicionistas) à estupenda postura de Claudia Efe, que cada vez mais se revela uma vocalista de excepção.

Não só demonstrou versatilidade vocal, quase mudando de persona de tema para tema, como manteve uma energia invejável, pulando de um lado ao outro do palco em quase todas as canções (feito difícil, calcula-se, tendo em conta os saltos altos) e apostando num headbanging capaz de fazer inveja a muitos metaleiros - contrariando a sua postura aparentemente frágil, traduzida nos longos cabelos louros e num delicado vestido lilás.

 

Não faltaram grandes momentos, tanto numa vertente apaziguada - a contemplativa "Shadow of Things", que Efe apresentou como "uma canção sobre a meteorologia e a conversa de chacha" - como numa mais abrasiva - cujo auge terá sido a genial "Odd Size Baggage", definida pela vocalista como "Stanley Kubrick meets Jean Michel Jarre". Infelizmente, episódios dinâmicos como este, embora tenham sido o pico de forma do grupo, também deixaram claro qual o grande ponto fraco do concerto: o espaço.

 

Se é certo que a sala possibilita conforto aos espectadores e consideráveis possibilidades cénicas aos artistas - o sóbrio e belo trabalho de iluminação foi exemplo disso -, também impede que descargas de energia cinética como as que os Micro Audio Waves ofereceram não tenham gerado grandes efeitos no público, que se manteve quase sempre estático (embora aplaudindo todos os temas).

Canções como "Down by Flow" ou "2night (U& I)" pedem dança e festa, e é difícil que esta se gere numa sala como o Grande Auditório do CCB (pelo menos para além do palco, onde o ambiente foi de facto festivo).

 

The Legendary Tiger Man

 

Desperdiçaram-se, assim, as colaborações com DJ Ride e Legenday Tiger Man, momentos dinâmicos que resultariam melhor noutra sala, e nem mesmo o apelo de Efe já no encore - "Esta é a última, levantem-se e dancem connosco!" - fez com que os espectadores se libertassem das cadeiras na vibrante "Fully Connected" (cujo título não se aplicou ao concerto, portanto).

Nada de muito grave, contudo, já que não foi por isso que este deixou de ser um concerto acima da média, mas poderia ter sido mais memorável uma vez que que o grupo se encontra em óptima forma.

 

Antes do trio, coube a Legendary Tiger Man proporcionar o aquecimento da noite, que consistiu em quase uma hora de rock e blues tão tenso quanto insinuante. O one-man show de Paulo Furtado foi competente, ainda que não tenha conseguido evitar alguma monotonia agravada por uma sala que também não é a ideal para o seu espectáculo.

Nota positiva para as projecções num painel ao fundo do palco, com vídeos para dada canção (realizados pelo próprio ou por terceiros, como Edgar Pêra), e para alguns episódios mais conseguidos como "Naked Blues" ou uma cover de "Route 66".

 

 

Fotos: sunday morning

 

 

Micro Audio Waves - "Fully Connected"