Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

gonn1000

Muitos discos, alguns filmes, séries e livros de vez em quando, concertos quando sobra tempo

Muitos discos, alguns filmes, séries e livros de vez em quando, concertos quando sobra tempo

Commedia alla italiana

 

Ferzan Özpetek, realizador turco radicado em Itália, assinou há três anos "Saturno Contro", um belo drama que, infelizmente, não chegou a salas nacionais (exceptuando uma passagem pelo Queer Lisboa 2008).

 

"Uma Família Moderna", o seu novo filme, teve melhor sorte e pode agora ser visto por mais espectadores... mesmo que não mostre um resultado final tão inspirado.

Se em "Saturno Contro" a comédia era um tempero ocasional e oportuno, aqui domina grande parte da narrativa e nem sempre a serve bem, com alguns momentos de humor pouco apurado ou simplesmente despropositado.

E é essa irregularidade que, a espaços, torna anedóticas muitas situações (e personagens) deste retrato de uma família abastada do interior italiano.

 

Há alguns bons gags, mas não surgem acompanhados por uma carga dramática à altura da que a premissa encorajava - o filme segue as reacções à revelação da homossexualidade do filho mais velho e em particular a do seu irmão, que também é gay e preparava-se para o anunciar.

 

"Uma Família Moderna" consegue elevar-se, ainda assim, acima de uma simpática mediania, muito por culpa de um elenco cuja química salta do ecrã e torna-se facilmente contagiante. Riccardo Scamarcio, em especial, reforça a boa impressão já deixada em "O Meu Irmão é Filho Único" ou "Paraíso a Oeste" e dá ao seu Tommaso, o protagonista, uma densidade e presença que mereciam estar num grande filme. Özpetek já fez pelo menos um, por isso talvez retribua com este empenho no próximo.

 

 

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.