Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

gonn1000

Muitos discos, alguns filmes, séries e livros de vez em quando, concertos quando sobra tempo

Muitos discos, alguns filmes, séries e livros de vez em quando, concertos quando sobra tempo

A Alemanha que raramente vemos

 

"Drei" (Três), o novo filme de Tom Tykwer, inaugura nesta quinta-feira a oitava edição da KINO 2011 – Mostra de Cinema de Expressão Alemã.

Misto de drama e a comédia, esta candidata-se a ser a obra mais realista do realizador de "Corre, Lola, Corre" ao seguir um triângulo amoroso entre um casal heterossexual e um homem bissexual - e tal como esse título de estreia, volta a ter Berlim como cenário e a ser falada em alemão. Talvez até seja desta que Tykwer tenha feito um bom filme (ou talvez já o tenha feito em "Der Krieger und Die Kaiserin/ The Princess and the Warrior", que não chegou a salas nacionais...).

 

Depois da sessão de abertura, a KINO 2011 leva ao Cinema São Jorge e ao Goethe-Institut, em Lisboa, cerca de dois filmes por dia até 4 de Fevereiro - sempre uma longa-metragem de ficção e um documentário (e por vezes com mais uma obra da secção Mostra para Escolas).

 

Entre as propostas desta edição, que concentram filmes alemães, austríacos, luxemburgueses e suíços, contam-se "Die Fremde" (A Estrangeira), de Feo Aladag, proposta alemã para o Óscar de Melhor Filme Estrangeiro; "Solino", filme de Fatih Akin que antecedeu "Head On - A Esposa Turca" e não teve direito a estreia por cá; ou "Pontapé de Saída (Kick Off)", o aplaudido documentário de Hüseyin Tabak sobre uma equipa austríaca que joga no campeonato do mundo de futebol para os sem-abrigo.

 

Tal como nas últimas edições, alguns balanços e sugestões deverão ir surgindo aqui no blog durante os próximos dias.

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.