Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

gonn1000

Muitos discos, alguns filmes, séries e livros de vez em quando, concertos quando sobra tempo

Muitos discos, alguns filmes, séries e livros de vez em quando, concertos quando sobra tempo

Estreia da semana: "127 Horas"

 

Danny Boyle tanto acerta ("Trainspotting", "Pequenos Crimes Entre Amigos") como falha ("Vidas Diferentes", "Milhões"). Se o seu filme anterior, "Quem Quer Ser Bilionário?", o mostrava na sua melhor forma, "127 Horas" segue no sentido oposto e é um dos pontos baixos da sua filmografia - talvez mesmo o mais baixo.

 

Esta aventura de um jovem montanhista cujo braço fica preso numa ravina do Utah, inspirada em factos reais, parecia ser um bom desafio para um realizador que tem testado diversos géneros.

Infelizmente, o que tinha potencial para ser um retrato claustrofóbico e intenso de uma experiência-limite vai perdendo força, culminando num final moralista que condena o individualismo do protagonista.

 

Mas mesmo antes de um desenlace histérico e lacrimejante, regado com música dos Sigur Rós, "127 Horas" raramente convence.

Uma situação que pedia um olhar intimista é filmada com excesso de adrenalina, flashbacks à descrição, banda-sonora intrusiva e uma ligeireza que faz equivaler sofrimento a entretenimento - "A Descida", mesmo com criaturas estranhas à mistura, conseguia ser infinitamente mais credível e sufocante ao atirar personagens para debaixo da terra.

 

Salva-se James Franco, cuja dedicação e carisma mereciam um filme à altura. A sua nomeação é, de longe, a mais merecida das seis com que "127 Horas" concorre na corrida aos Óscares.

 

 

Esta semana chegam mais três filmes às salas

 

 

 e-Cinema: Os filmes com mais Óscares

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.