Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

gonn1000

Muitos discos, alguns filmes, séries e livros de vez em quando, concertos quando sobra tempo

Muitos discos, alguns filmes, séries e livros de vez em quando, concertos quando sobra tempo

O lado negro da synth pop

 

Para os apreciadores de synth pop crepuscular, "Nuit de rêve", o novo disco dos Scratch Massive, é bem capaz de ser das melhores edições da temporada. Maud Geffray e Sebastien Chenut têm queda para a confecção de electrónica densa, mas dançável, e o seu terceiro álbum doseia bem instrumentais e temas cantados.

 

Desta vez, a lista de cantores convidados pela dupla francesa inclui os conterrâneos Chloé e Koudlam, o islandês Daníel Ágúst (dos Gus Gus) e o escocês Jimmy Somerville, que teve uma palavra a dizer na história da synth pop com os Bronski Beat e os Communards, há três décadas. E é precisamente ele que dá voz a "Take Me There", o novo single do disco e um dos seus momentos mais fortes: