Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

gonn1000

Muitos discos, alguns filmes, séries e livros de vez em quando, concertos quando sobra tempo

Muitos discos, alguns filmes, séries e livros de vez em quando, concertos quando sobra tempo

Fundo de catálogo (97): Mirwais

Ao lado dos electrónicos Taxi Girl e dos acústicos Juliette et les Independents, Mirwais Ahmadzaï foi deixando de ser, durante os anos 80, um nome estranho para o pop-rock francês. Mas só na viragem do milénio é que a música deste suíço de ascendência italo-árabe radicado em Paris se tornaria tão cosmopolita como as suas origens. Afinal, foi nessa altura que o cantor, compositor, músico e produtor iniciou uma colaboração com Madonna cujo impacto foi bem evidente no percurso de ambos: o seu ganhou uma relativa projecção internacional até aí inimaginável, o da rainha da pop brilhou nos três últimos álbuns ao nível desse estatuto.

Além da produção de algumas das melhores faixas de "Music" (2001), Mirwais aprimorou a sua faceta electroacústica no subestimado "American Life" (2003), de longe o disco mais arrojado de Madonna nos anos 00. Se aí co-produziu e co-escreveu quase todo o alinhamento, em "Confessions on a Dance Floor" (2005) registou uma participação mais discreta (apenas dois temas) e a passagem de testemunho a Stuart Price. A dança entre o french touch e a country/folk não teve, infelizmente, mais capítulos mas continua tão vibrante (e caso único?) como há dez anos. Já da obra de Mirwais há mais canções a resgatar, até porque mesmo na altura foram eclipsadas por esta parceira.

Editado pouco antes de "Music", "Production" (1999) foi a segunda (e até ver, última) aventura a solo do produtor, dez anos depois da estreia homónima (que não ficou perdida nas prateleiras). Mais sintético do que esse antecessor, é um disco que foge mais vezes ao formato canção, mergulha em electro quase sempre dançável (ou pelo menos planante) e tem no vocoder um dos seus aliados.

O passado synth pop dos Taxi Girl surgiu reconfigurado em "Naïve Song", o flirt com o rock de "I Can't Wait" aproximou-se dos esquecidos Rinôçérôse, outros franceses cujo disco de estreia chegou aos escaparates no mesmo ano, e "Disco Science" samplou a contribuição vocal mais memorável das Breeders para um crescendo rodopiante (Guy Ritchie aprovou e puxou-o para a banda sonora de "Snatch"). Os videoclips de Stéphane Sednaoui encarregaram-se de lhes dar um embalo visual cinético e recordam-se aqui juntamente com "Mannequin" (1980), o promissor primeiro single dos Taxi Girl, e "Never Young Again", que não foi single mas é um dos pontos altos de "Production" (nota: qualquer semelhança com "Music" não é pura coincidência):

Depois de "Production", Mirwais não voltou a editar um novo disco a solo mas também não tem estado parado, como o comprovou a produção de canções para os Fischerspooner ou Uffie. O seu projecto mais recente, Y.A.S., ao lado da cantora libanesa Yasmine Hamdan, revelou-se em 2009 com o álbum "Arabology", mas esta "música árabe avant-garde" (a definição é do próprio) pouco mais fez do que mudar o idioma e repetir a produção (sem o mesmo rasgo).

Diferente será, isso sim, o seu papel de produtor em "GHB", drama de Laetitia Masson com estreia prevista para 2014 no qual assumirá ainda a função de director artístico. Pode ser que a música ganhe aí novo fôlego, já que a banda sonora também terá a sua assinatura...