Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

gonn1000

Muitos discos, alguns filmes, séries e livros de vez em quando, concertos quando sobra tempo

Muitos discos, alguns filmes, séries e livros de vez em quando, concertos quando sobra tempo

A banda não regressa, mas a vocalista está perdoada

Juanita Stein

 

Desde "Heartstrings", de 2014, que não há novidades dos Howling Bells, mas em compensação o percurso a solo de JUANITA STEIN parece cada vez mais imparável. Depois do álbum de estreia em nome próprio, "America", editado no ano passado, a australiana já gravou o sucessor e está prestes a lançá-lo.

 

"Until The Lights Fade" chega a 31 de Agosto e tem em "FORGIVER" o single de apresentação, tema composto a meias com Brandon Flowers, dos The Killers (banda para a qual Stein assegurou algumas primeiras partes na digressão mais recente antes de se juntar à de Bryan Ferry).

 

O vocalista também foi o produtor de uma canção que arranca em modo trepidante, a lembrar a faceta mais eléctrica dos Howling Bells, antes de ir alternando o ritmo através de um refrão desacelerado e envolvente, com Stein a moldar-se a ambientes quase dream pop que também fazem parte da sua escola - e nos quais o seu timbre assenta especialmente bem.

 

O videoclip é tão despojado como outros da cantora a solo - caso de "Stargazer" ou "Dark Horse" - e acompanha-a nas ruas de Shepard’s Bush, zona na qual viveu há uns anos quando se mudou para Londres:

 

 

Um single a pedir play e replay

Roisin Murphy 2018

 

A parceira de RÓISÍN MURPHY e Maurice Fulton, iniciada este ano e para continuar ao longo do Verão, tem-se mantido proveitosa. Se "All My Dreams" já tinha deixado no ar que uma série de colaborações entre a ex-vocalista dos Moloko e o produtor era boa ideia, o novo single resulta num dos singles mais directos e contagiantes da irlandesa.

 

Mais uma vez inspirado pelo universo da música de dança, em especial a de inícios dos anos 90, "PLAYTHING" é um encontro entre a house a pop que tem tanto de familiar como de fresco. Chega a lembrar os momentos mais enérgicos de uns Hercules & Love Affair, que também têm revisitado esses ambientes, mas com o bónus de ter a voz de Murphy como elemento sempre diferenciador.

 

O videoclip também está na linha do que acompanhava o single anterior, ao apostar em cenários de uma discoteca underground q.b. com a cantora à frente e atrás das câmaras. E além desta canção, há mais uma novidade: o lado B "Like", outro excercício dançável que faz jus ao título.

 

 

A vida é um jogo

Oscar_2018

 

Passar de nível, ganhar uma nova vida, recomeçar. Pode ser a lógica de um videojogo, mas foi também o meio que OSCAR Scheller encontrou para dar a volta aos seus períodos de ansiedade e depressão. E agora o britânico junta as duas vertentes em "1UP", o novo single de um percurso que começou de forma promissora com um EP seguido de um álbum, há dois anos, mas do qual não resultaram notícias nos últimos tempos.

 

O regresso mantém a pop vitaminada, embora melancólica q.b., de "Cut and Paste", e acrescenta-lhe uma camada electrónica com pulsão 8-bit - um condimento natural num tema inspirado no universo gamer. O videoclip não foge a essa herança e oferece um desfile, devidamente pixelizado, por memórias de videojogos old school, de "Super Mario" a "Street Fighter", com piscadelas de olho a algum anime, entre "Dragon Ball" e "Pokémon". E lá mais para o final ainda há espaço para Sarah Midori Perry, a vocalista dos Kero Kero Bonito, que vem reforçar a carga despretensiosa e geek. Próximo nível: segundo álbum? Talvez não, mas pelo menos há mais música a caminho.