Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

gonn1000

Muitos discos, alguns filmes, séries e livros de vez em quando, concertos quando sobra tempo

Muitos discos, alguns filmes, séries e livros de vez em quando, concertos quando sobra tempo

Bela e perigosa

 

Depois de um álbum de estreia promissor, "On a Mission" (2011), ou de um concerto avassalador - este ano, no Optimus Alive -, a Katy mais interessante da pop traz novidades em "Danger EP". Traz e oferece-as, uma vez que as quatro novas canções estão disponíveis para download gratuito através do site oficial de Katy B.

 

Neste regresso, como seria de esperar de alguém para quem a música se faz pela partilha (tanto em disco como no palco), a britânica não vem sozinha: Jessie Ware, Diplo ou Jacques Greene são alguns cúmplices de inéditos que mantêm a ligação directa às pistas de dança. É o caso de "Got Paid", colaboração com DJ Zinc e Wiley e uma ode às sextas-feiras que, diz Katy B, nunca desiludem. Vendo o videoclip, percebe-se porquê:

 

 

Seis canções para o Outono

 

Enquanto não regressam com um novo álbum, as Azure Ray vão sugerindo uma ligeira viragem no seu som com o EP "As Above So Below". Mais electrónicas do que aquilo a que Maria Taylor e Orenda Fink nos habituaram, estas seis canções são bons acréscimos a uma discografia discreta mas cheia de momentos bonitos. Como a dream pop de "Scattered Like Leaves", single outonal e uma acolhedora porta de (re)entrada para o universo da dupla norte-americana, cujo videoclip fica aqui. Para ouvir o resto do EP basta clicar neste link, cortesia da Rolling Stone.

 

Não custa nada ouvir os Parallels

 

Começaram por ser o projecto de Cam Findlay, baterista que acompanhava os Crystal Castles ao vivo, mas a saída do músico, este ano, não impediu que os Parallels continuassem. Prova disso é o segundo álbum do trio canadiano, "XII", uma das boas surpresas da temporada no departamento que junta ingredientes synth pop, italo disco ou electro, tendo quase sempre a pista de dança na mira.

 

Dois anos depois de "Visionaires", este regresso volta a dar protagonismo à voz de Holly Dodson, espécie de afilhada de Madonna (versão 80s), Cyndi Lauper ou mesmo Kate Bush, cujo timbre contribui para que as canções dos Parallels sejam mais doces do que arrepiantes - ou seja, o inverso do que acontecia nos excelentes EPs, dominados pelo recurso ao vocoder e cuja fasquia continua a não ser atingida, e muito menos superada, no formato álbum.

 

Mas se não mantém essa excelência, "XII" ainda consegue, o que já não é pouco, ser dos raros discos que não nos obrigam a saltar de faixa umas quantas vezes, oferecendo doses suficientes de mistério e sedução. E o melhor é que a banda tem a simpatia de o partilhar, na íntegra, para audição no seu site. Vale a pena passar por lá, até porque também lá estão duas versões de "Visionaires", e valeria ainda mais ouvir estas canções num palco, como este vídeo deixa bem evidente:

 

Le Café des Étoiles

 

O seu novo disco, uma colaboração com o guitarrista jazz Afonso Pais, está prestes a ser editado, mas antes JP Simões actua no Café au Lait, no Porto.

 

O ex-vocalista dos Belle Chase Hotel e Quinteto Tati é o primeiro convidado da Bodyspace au Lait, um ciclo de concertos organizado pelo Bodyspace. A actuação decorre já amanhã, a partir das 19 horas, e é de entrada livre.

 

E falando nos Belle Chase Hotel, também eles vão andar pelos palcos este ano. Depois de ter actuado em Coimbra no ano passado, a banda passa pelo Teatro Municipal de Vila do Conde a 12 de Fevereiro. Uma das canções que deverá ouvir-se por lá é "Fossanova", faixa homónima do saudoso disco de estreia (já lá vão 13 anos):

 

 

Boa música sem custos (7)

 

Apesar de contar com mais de duas dezenas de temas, o segundo álbum dos A Sunny Day in Glasgow, "Ashes Grammar", editado no ano passado, ainda deixou de fora muito material que a banda gravou na altura.

E grande parte dessas canções não eram meras sobras, como o comprova "Autumn, Again", o terceiro disco do projecto norte-americano, que junta o que tinha ficado por editar.

 

Tal como nos registos anteriores, o alinhamento recupera atmosferas da dream pop ou do shoegaze - que nos últimos tempos têm inspirado várias novas bandas - e deverá agradar a quem tem saudades dos Lush ou Cocteau Twins ou gosta do que os School of Seven Bells ou Tamaryn têm feito.

 

Mas o melhor é que os A Sunny Day in Glasgow disponibilizaram o disco para download gratuito, por isso não custa nada (literalmente) passar por aqui e ouvir canções que se dão muito bem com estes dias chuvosos - como as grandes "Drink Drank Drunk" ou "How Does Somebody Say When They Like You?".