Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

gonn1000

Muitos discos, alguns filmes, séries e livros de vez em quando, concertos quando sobra tempo

Muitos discos, alguns filmes, séries e livros de vez em quando, concertos quando sobra tempo

Um hino chiclete (com banana) para chamar o Verão

Love por Você.jpg

E se os Wham! fossem brasileiros e gravassem o videoclip de "Club Tropicana" numa praia do Recife? O resultado talvez não andasse muito longe de "LOVE POR VOCÊ", o novo single de ROMERO FERRO e um dos temas do seu segundo álbum, "Ferro" (2019), que mais acertam na proposta brega wave - um cruzamento da canção romântica pernambucana com synth-pop.

Celebração do amor e do desejo, é um hino hedonista que se torna mais atrevido e bem humorado num vídeo que dá visibilidade a vários tipos de corpos e de relacionamentos em ambiente veraneante.

"Falar sobre sexo é saudável, o sexo é saudável, ter fetiches e desejos é saudável. O que não podemos é reprimir! Eu escrevi essa canção pensando em tudo isso, e queria levar esse contexto para o vídeo sem soar apelativo, ou clichê", explicou o cantor ao portal POPline, num apelo que ganha outro peso tendo em conta a repressão de que alguma arte e expressões públicas de afecto têm sido alvo no Brasil de Bolsonaro.

No videoclip, FERRO surge acompanhado de Luiz Caldas, artista axé que também dá voz à nova versão da canção - juntando-se à lista de colaboradores do álbum, que inclui Otto, Duda Beat, Mel (da Banda Uó) e Hiran.Agora só falta mesmo trazer este Verão brasileiro a um palco português:

Num filme sempre dream pop

I Break Horses.jpg

Com "Hearts" (2011) e "Chiaroscuro" (2014), os I BREAK HORSES mostraram-se uma banda a ter em conta para adeptos de música entre a dream pop, o shoegaze e aproximações à synth-pop, em ambientes que derivaram de alguma colheita alternativa de finais dos anos 80 e inícios dos 90 - a dos My Bloody Valentine, Cocteau Twins ou Curve, alguns dos nomes que as canções da dupla sueca poderão lembrar.

Ao terceiro álbum, o cenário parece ser o de evolução na continuidade. "Warnings" deverá chegar a 8 de Maio e tem como aperitivo "DEATH ENGINE", mais um mergulho em texturas etéreas, com a voz encantatória de Maria Lindén a adaptar-se perfeitamente a essa atmosfera. E se o resultado não alarga fronteiras no cruzamento de géneros feito até aqui, deixa um belo primeiro passo para um regresso a acompanhar nos próximos meses. 

Inspirado pela tentativa de suicídio de um amigo da vocalista e pela alta taxa de suicídio da Geração Z, o single apresenta um disco que, não sendo assumidamente político, tem ecos das tensões dos tempos de hoje, avança a cantora nas redes sociais. Mas também de alguns filmes favoritos da mentora do projecto, o que ajudará a explicar a carga cinematográfica deste primeiro avanço. O videoclip, em modo retro, turvo e esbatido, condiz com a vertente onírica da canção:

Azar na praia

Baxter Dury.jpg

"The Night Chancers", agendado para 20 de Março, será o sexto álbum a solo de BAXTER DURY e o novo compêndio de crónicas de um bom malandro que tem aperfeiçoado a faceta de crooner sem meias palavras. Se o pai do britânico, Ian Dury, imortalizou a máxima "Sex & Drugs & Rock & Roll", o seu caminho não tem dispensado esses três condimentos em relatos de marialvas e fura-vidas percorridos por um humor declaradamente brit, tão irónico como desbragado.

A fase mais recente - que sucedeu a "B.E.D." (2018), disco gravado com Étienne de Crécy e Delilah Holliday - teve "Slumlord" e "Carla's Got a Boyfriend" como vinhetas iniciais e prossegue inspirada em "I'M NOT YOUR DOG", encontro de sintetizadores e cordas com ritmo envolvente, refrão orelhudo e a voz de DURY em registo spoken word, a dar espaço a contribuições femininas no refrão (cruzamento que tem vincado as suas canções nos últimos anos e não perdeu o embalo).

O videoclip, protagonizado pelo próprio, é um plano sequência de um amanhecer violento e solitário na praia de Benidorm, depois de uma noite provavelmente regada a álcool e pelo menos um tiro:

De Liverpool para Paraíba (com escala em São Paulo)

Ladytron_Tower_of_Glass.jpg

Depois de uma pausa criativa que se prolongava já desde 2011, os LADYTRON regressaram no ano passado com o sexto álbum, homónimo. E começaram a abrir caminho para ele através de "The Animals", cujo videoclip foi filmado no Brasil e seguia um grupo de amigos entre a festa e o caos em São Paulo.

"TOWER OF GLASS", o novo single do grupo de Liverpool, volta a ter um vídeo que junta a sua música a cenários brasileiros, mas agora em ambientes rurais, na Paraíba. Menos narrativo do que o anterior e a acompanhar a dinâmica de um casal, o resultado, dirigido por Manuel Nogueira, partiu de uma conversa sobre o tempo, a memória e heranças culturais com Daniel Hunt, elemento da banda que tem vivido no Brasil nos últimos anos (onde formou o projecto paralelo Tamoios e produziu canções de Lia Paris).

Além do videoclip, foi divulgada uma curta-metragem que resultou das mesmas gravações e ajuda a dar algum contexto adicional ao ensaio abstracto q.b. em torno de um relacionamento. Já a canção, não sendo dos pontos altos de "Ladytron", ainda é um bom pretexto para voltar a um disco que não merece ficar arrumado tão cedo.

Uma noite para dançar sem dramas

Super Drama.jpg

Uma canção sobre uma noite de festa, outra sobre o after hours e mais uma inspirada pelo regresso a casa. Foi este o ponto de partida para "Unforgettable Runway", o novo EP dos SUPER DRAMA e a primeira edição da dupla britânica através da Moshi Moshi Records, depois de ter passado pela portuguesa Discotexas (etiqueta de singles como o contagiante "Ultra", lançado há dois anos).

Além dos clubes londrinos, onde Jerome Slesinski e Jon Arnold têm tido presença assídua como DJs (sobretudo em espaços LGBTQ+), a moda está entre as pistas para um ciclo de canções que faz a ponte entre o electro e o space ou italo disco.

Embora a música do duo seja quase sempre instrumental, o novo single, "A/W 84", nasceu de uma colaboração com Max Allen, cuja voz surge num registo spoken word e deixa uma ode ao hedonismo e à cultura queer - com alusões às cenas de Londres ou Berlim e um salto a praias mediterrânicas. "A witty caption to a low resolution image", ouve-se a certa altura, e a descrição assenta bem no formato lo-fi do videoclip: