Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

gonn1000

Muitos discos, alguns filmes, séries e livros de vez em quando, concertos quando sobra tempo

Muitos discos, alguns filmes, séries e livros de vez em quando, concertos quando sobra tempo

A rainha da noite

Tracey Thorn

 

Além de eterna voz dos Everything but the Girl ou de várias colaborações, TRACEY THORN tem-se destacado por um percurso em nome próprio com lançamentos ocasionais. Desde que a dupla que compunha com Ben Watt disse adeus na viragem do milénio, a britânica assinou três álbuns (dois de originais e um natalício), sucessores da mais longínqua estreia a solo "A Distant Shore", de 1982.

 

O próximo chega este trimestre, a 2 de Março, seis anos depois de "Tinsel and Lights", e deverá aprofundar a filiação numa pop electrónica dançável, à qual THORN é geralmente associada (apesar de uma fase inicial mais próxima da folk).

 

"QUEEN" dá o mote de forma directa e pulsante q.b., embora nem os sintetizadores nem a guitarra que se intromete a meio cheguem a ameaçar o protagonismo vocal, numa canção que convida Sella Mozgawa e Jenny Lee Lindberg, das Warpaint, para a percussão e baixo, respectivamente.

 

Corinne Bailey Rae e Shura são os outros nomes já confirmados para "Record", disco que promete aliar o feminismo à pista de dança em faixas como "Smoke", "Guitar" ou "Dancefloor". Nada contra quando o aperitivo é um exemplo de synthpop redondinha e orelhuda, defendida por uma voz sem grandes paralelos no género:

 

 

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.