Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

gonn1000

Muitos discos, alguns filmes, séries e livros de vez em quando, concertos quando sobra tempo

Muitos discos, alguns filmes, séries e livros de vez em quando, concertos quando sobra tempo

Berlim, 1945

Lea_Porcelain

 

Com ecos de ambientes pós-punk, góticos e industriais de travo anos 80, o álbum de estreia dos LEA PORCELAIN está longe de propor uma colecção de canções veraneante. Mas nem por isso deixa de ser uma das boas surpresas da temporada.

 

"Hymns of the Night" dificilmente poderia ser um título mais apropriado para o disco da dupla alemã, com o tom sorumbático a propagar-se por canções nas quais o título também não engana, de "Bones" a "White Noise". Qualquer semelhança com contemporâneos como os Preoccupations (ex-Viet Cong) ou First Hate não será pura coincidência, uma vez que todos partilham a devoção por nomes como Joy Division, Depeche Mode e Cabaret Voltaire (ou pelo menos a audição atenta de alguns dos seus álbuns).

 

Mas se não são tremendamente originais, o produtor Julien Bracht e o vocalista Markus Nikolaus mostram-se bastante à vontade com o território que percorrem, não se limitando a repisá-lo. Prova disso são temas como "LOOSE LIFE", o novo single, que continua a fazer tanto sentido em 2017 como teria feito em 1987, embora o videoclip até recue mais uns anos.

 

Criado a partir de uma recolha de imagens de arquivo da reconstrução de Berlim e Potsdam em 1945, logo após a Segunda Guerra Mundial, o vídeo acompanha uma canção inspirada na queda de uma grande cidade e, diz a banda, pretende lembrar como a paz continua a ser volátil ao fim de várias décadas. A combinação é eficaz e a remistura de Roman Flügel também convence, ao trocar as guitarras e a aura suja do original por sintetizadores e uma produção mais polida.