Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

gonn1000

Muitos discos, alguns filmes, séries e livros de vez em quando, concertos quando sobra tempo

Muitos discos, alguns filmes, séries e livros de vez em quando, concertos quando sobra tempo

Dos Metronomy a Moullinex (com house e literatura portuguesa)

Anna-Prior.-Credit-Daniel-Mutton-and-Morgan-Hislop

Três anos depois de "Thank You for Nothing", o seu primeiro single, ANNA PRIOR prepara-se para editar o EP de estreia em nome próprio.

A cantora, compositora, produtora, DJ e radialista que se notabilizou ao lado dos Metronomy (nos quais se ocupa da bateria e coros) mantém-se pelos territórios da música de dança na nova aventura, embora pareça ter-se deixado seduzir pela revisitação da house (escola anos 90) que também se tem feito ouvir noutras discografias, de Beyoncé a Shygirl.

Com produção partilhada entre James Greenwood (AKA Ghost Culture), o trio PPJ (Páula, Povoa & Jerge) e o português Luís Clara Gomes (AKA Moullinex, que já tinha remisturado "Thank You for Nothing") , "ALMOST LOVE" é esperado a 13 de Junho e vai contar com sete temas. Dois já são conhecidos: "FALL BACK", o single mais recente, e "TECH NÃO", nascidos num período em que a britânica colaborou em "ZEITGEIST", o novo álbum de The Legendary Tigerman (na canção "Losers"), e assinou remisturas para Little Boots ("Crying on the Inside") ou Disco Bahía ("Bahía").

Nos últimos tempos, resultado de uma estadia em Lisboa desde a pandemia, a poesia de autores portugueses dos séculos XIX e XX ganhou lugar entre as paixões do momento e é uma das influências do disco, ainda que não seja muito evidente nas letras ou nos videoclips (em modo noctívago e festivo, dirigidos por Tom Furse, teclista dos The Horrors) dos dois avanços iniciais: