Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

gonn1000

Muitos discos, alguns filmes, séries e livros de vez em quando, concertos quando sobra tempo

Muitos discos, alguns filmes, séries e livros de vez em quando, concertos quando sobra tempo

Eles vivem (e dançam)

Arab_Strap.jpg

"Back from the grave and ready to rave": é assim que os ARAB STRAP anunciam o regresso aos discos, 15 anos depois do sexto álbum, "The Last Romance", que afinal não ficará como o último da dupla escocesa. E não poderiam regressar melhor: "THE TURNING OF OUR BONES", o novo single, vem juntar-se às canções mais recomendáveis do projecto de Aidan Moffat e Malcolm Middleton, conseguindo soar fresca (e com uma aura muito 2020) apesar de manter elementos reconhecíveis: uma voz quase sempre em registo spoken word e com sotaque carregado, atmosfera sombria mas dançável q.b., um relato existencial ao qual não falta sarcasmo e humor negro...

Por outro lado, também há aqui uma diversidade instrumental que nem sempre se ouvia na música do duo de Glasgow [conterrâneo e cúmplice dos Mogwai ou Belle & Sebastian) em finais de década de 90 e inícios do novo milénio: além de "guitarras ominosas" ou "pianos tristes" (segundo descrevem as muito minuciosas legendas do lyric video), o tema convoca congas, sintetizadores ou um "saxofone apaixonado", que vão desviando os horizontes do tom urbano-depressivo que parecia dominante à partida. A morte não deixa de ser, ainda assim, uma das musas desta canção (inspirada num ritual fúnebre de Madagáscar) e das que estão a caminho, revelou a banda em entrevista ao The Guardian, embora o sexo tenha um peso comparável no alinhamento do novo disco (poliamor, masturbação e pornografia online incluídas).

"THE TURNING OF OUR BONES" vai ter edição física a 23 de Outubro, juntamente com o lado B "The Jumper". Entretanto, fica o desafio de ir identificando as cenas de vários filmes de terror de baixo orçamento que compõem o videoclip:

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.