Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

gonn1000

Muitos discos, alguns filmes, séries e livros de vez em quando, concertos quando sobra tempo

Muitos discos, alguns filmes, séries e livros de vez em quando, concertos quando sobra tempo

Entre o regresso e o recomeço (com os rugidos de Chino Moreno)

Deftones_2020.jpg

"Ohms", o nono álbum dos DEFTONES, chega já esta sexta-feira, 25 de Setembro, e as primeiras pistas têm sido mais estimulantes do que boa parte do disco anterior, "Gore" (2016). Depois de ter revelado a faixa-título como single de apresentação, a banda de Sacramento aposta agora em "GENESIS" como novo cartão de visita - e dos mais intempestivos do seu percurso.

"I reject both sides of what I've been told", grita Chino Moreno no arranque daquele que também é o tema de abertura do alinhamento, inspirado pela clima de polarização extrema de 2020. "I finally achieved balance/ Approaching a delayed rebirth", continua na canção que se aproxima mais da fase do aclamado "White Pony" (editado há 20 anos) do que das aventuras sónicas que se seguiram. Os primeiros segundos, entre sintetizadores atmosféricos e um dedilhar de guitarra intrigante, parecem sucessores de clássicos como "Change (In the House of Flies)", o que talvez se explique pela colaboração com Terry Date, produtor dos primeiros quatro álbuns dos californianos.

Dos rugidos facilmente reconhecíveis do vocalista à coesão instrumental (e visceral) ou a uma produção que volta a aceitar contaminações de texturas do shoegaze, "GENESIS" é mais um tema a lembrar que sempre foi redutor arrumar os DEFTONES na gaveta nu metal. Agora é esperar uns dias para descobrir se o álbum mantém esta efervescência e aguardar mais uns meses para confirmar o resultado ao vivo no North Music Festival do próximo ano - a 21 de Maio, na Alfândega do Porto -, depois do adiamento da edição de 2020.