Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

gonn1000

Muitos discos, alguns filmes, séries e livros de vez em quando, concertos quando sobra tempo

Muitos discos, alguns filmes, séries e livros de vez em quando, concertos quando sobra tempo

Há novas canções para o sol de Inverno

Requin Chagrin.jpeg

 

Chama-se "Sémaphore", é o segundo álbum dos REQUIN CHAGRIN e também a primeira aposta da KMS Disques, a editora de Nicola Sirkis, vocalista dos Indochine. E vem confirmar as boas pistas do disco de estreia homónimo, editado em 2015 e um dos mais elogiados do indie rock francês dos últimos anos.

 

Projecto de Marion Brunetto, que começou como baterista antes de tentar criar canções para voz e guitarra, a aventura a solo acabou por adoptar um formato de banda (com mais três elementos) e o novo álbum retoma o cruzamento de dream pop, surf music e alguns acessos new wave. O resultado mantém também o francês como único idioma e tem uma produção tão directa e arejada como a estreia. Talvez até seja um alinhamento mais luminoso, sem deixar cair a melancolia, em parte pela produção de Adrien Pallot, colaborador de outros fenómenos de culto do novo pop-rock francês (dos FAUVE aos La Femme).

 

Entre as influências assumidas contam-se os Pixies ou as mais esquecidas Electrelane, mas também conterrâneos como os "padrinhos" Indochine (para quem a banda já fez primeiras partes de concertos) ou Étienne Daho. A nostalgia de verões da adolescência também tem algum peso em canções de sabor estival - embora não necessariamente hedonista -, e o mesmo pode dizer-se de algum cinema. O de Xavier Dolan, Gus Van Sant ou Larry Clark, por exemplo, parece ter eco no videoclip de "SÉMAPHORE", realizado pela vocalista com Simon Noizat, que vem dar mais luz e fulgor a um dos melhores momentos do disco - e é ideal para um primeiro mergulho nesta música fora de estação: