Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

gonn1000

Muitos discos, alguns filmes, séries e livros de vez em quando, concertos quando sobra tempo

Muitos discos, alguns filmes, séries e livros de vez em quando, concertos quando sobra tempo

Na dúvida, é arriscar

Metric pic.png

 

"Quando a compus pensei que se referia a uma situação que tinha ficado arrumada no passado, mas estou a vivê-la novamente no presente. A música tem esta característica curiosa, ao partir de emoções", confessou Emily Haines a propósito de "RISK", canção que esteve entre os momentos altos do (excelente) concerto dos METRIC em Barcelona, no final do ano passado.

 

O tema, inspirado por "memórias árduas", quase esteve para ficar fora dos alinhamentos da digressão mais recente, mas a vocalista acabou por decidir mantê-lo, ao "saber que não estava sozinha" nas situações que aborda na letra (centradas no desgosto de um relacionamento mais efémero do que contava). E foi, de longe, das canções mais bem acolhidas pelos fãs num concerto onde nunca faltou entusiasmo. Talvez por isso a banda canadiana tenha decidido voltar a ela, tornando-o a nova aposta oficial de "Art of Doubt", o seu sétimo álbum, depois de faixas como "Dark Saturday" ou "Now or Never Now".

 

Aparentemente menos vulnerável do que quando interpretou o tema ao vivo, Haines volta a enfrentá-lo ao protagonizar o videoclip, um longo plano-sequência que a segue enquanto caminha ou dança, com direito a demonstrações de air guitar pelo meio. E entre a melancolia e a euforia, ajuda a confirmar o estatuto de hino à resiliência da canção ("Find some daylight", aconselha, e é difícil não aderir ao apelo):