Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

gonn1000

Muitos discos, alguns filmes, séries e livros de vez em quando, concertos quando sobra tempo

Muitos discos, alguns filmes, séries e livros de vez em quando, concertos quando sobra tempo

O sabor da maçã

Animated Violence Mild.jpg

 

BLANCK MASS arrancou como projecto paralelo a solo de Benjamin John Power, metade dos Fuck Buttons, em 2011, mas nos últimos anos tem-se mostrado mais prolífico do que a discografia da banda matriz (cujo disco mais recente é o distante "Slow Focus", de 2013).

 

"Animated Violence Mild", o quarto álbum do britânico, está prestes a chegar, já a 16 de Agosto, e os avanços iniciais não traíram a fasquia que esta aventura lateral (mas cada vez mais central) tem imposto. E se "House Vs. House" e "No Dice" prometiam, "LOVE IS A PARASITE" é bem capaz de ser a melhor amostra do disco até agora, num novo acesso distorcido que volta a ir além dos seis minutos de duração sem perder o rasgo - e mantém o desvario entre o electrónico, o industrial e o noise no qual o seu autor se tem especializado como poucos.

 

A acompanhar, o videoclip de Craig Maurray (que já colaborou com os Mogwai ou Converge) surge como paródia gore à sociedade de consumo, um dos pontos de partida do álbum, enquanto deixa uma homenagem aos primeiros dias da filmografia de David Cronenberg, influência decisiva para este universo - e já evidente num vídeo como o de "Dead Format".

 

Não admira, por isso, que a estética recue até inícios dos anos 80, com uma fronteira ténue entre o humor e o terror, à medida que o saborear de uma maçã se vai revelando problemático. Power diz que as imagens estão à altura da junção de grotesco e belo da sua música, mas fica o aviso de que a primeira vertente sai à ganhar à segunda, e com alguma vantagem. Nada contra: