Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

gonn1000

Muitos discos, alguns filmes, séries e livros de vez em quando, concertos quando sobra tempo

Muitos discos, alguns filmes, séries e livros de vez em quando, concertos quando sobra tempo

Pra cima de bruxa

MARINA.jpg

Dez anos depois de "The Family Jewels", uma das estreias mais reluzentes da pop da década passada, MARINA Diamandis recupera finalmente algum brilho perdido no (muito) decepcionante quarto álbum, "Love + Fear" (2019). "About Love", single editado em Fevereiro, fazia com que se continuasse a temer o pior, numa das canções mais anémicas da galesa de ascendência grega, com ares de sobra de um disco já de si pouco criterioso.

Felizmente, "MAN'S WORLD" inverte essa tendência num regresso mais fresco e consequente, mesmo não chegando a aproximar-se do gabarito dos primeiros tempos ou de "FROOT" (2015), o terceiro álbum. Ainda assim, acaba por lembrar a atmosfera deste último, simultaneamente etérea e imediata, e com um update lírico para a era #MeToo. Hino de empoderamento feminino contra o patriarcado, tem inspiração na perseguição às mulheres e a outras minorias, como a comunidade LGBTQ+, deixando alusões aos tempos de uma caça às bruxas literal ("Burnt me at the stake, you thought I was a witch/ Centuries ago, now you just call me a bitch").

Produzido a meias com Jenn Decilveo (Bat for Lashes, Hinds), conta com um videoclip assinado por outra mulher, Alexandra Gavillet, e protagonizado pela cantora ao lado de um grupo de bailarinos femininos e não binários, numa homenagem à Mãe Natureza, outro dos pontos de partida da canção ("Mother nature's dying/ Nobody's keeping score"). A escrita de MARINA já foi mais cáustica e afiada, e a sonoridade mais aventureira, mas ainda está aqui um passo na direcção certa rumo a um quinto álbum que, agora sim, desperta curiosidade: