Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

gonn1000

Muitos discos, alguns filmes, séries e livros de vez em quando, concertos quando sobra tempo

Muitos discos, alguns filmes, séries e livros de vez em quando, concertos quando sobra tempo

De volta à realidade

Real Lies 2018

 

As madrugadas parecem continuar a ser o horário de eleição para as canções dos REAL LIES, três anos depois do álbum de estreia, "Real Life". Ainda sem sucessor anunciado, o disco deixou os moldes do que se ouve nos singles mais recentes do trio britânico: "The Checks", editado há poucos meses, e o novíssimo "WHITE FLOWERS", que pode ser visto como uma sequela espiritual de "Blackmarket Blues" (um dos melhores temas do grupo, a funcionar como nota de intenções dos seus relatos noctívagos nos primeiros anos da idade adulta).

 

O lado mais contemplativo dos Underworld ou dos Audio Bullys volta a ser uma referência próxima para a deambulação electrónica, em registo spoken work, entre o mundano e o inspirador, numa colaboração com o DJ Tom Demac que marca a estreia dos londrinos na editora alemã Kompakt. E é um bom começo, tanto na versão original, de mais de sete minutos de duração, como na editada para single, cujo videoclip segue o florescer de um novo dia (psicadélico q.b.) na capital britânica:

 

 

De Poison Ivy a Charlotte, da new wave ao trip-hop

Den-Mate

 

Depois de terem editado um álbum promissor em 2013, de título homónimo, só no ano passado é que os DEN-MATE voltaram a trazer novidades de uma música que descrevem como "electrónica indie de outro ponto no tempo e no espaço".

 

No EP "Entropii", o quarteto norte-americano retomou o mergulho numa dream pop com pontes para o shoegaze ou a new wave, ambientes conduzidos pela voz sedutora de Jules Hale e que podem agradar facilmente a fãs das Warpaint, Grimes (dos primeiros tempos), Broadcast ou Purity Ring - alguns dos eleitos da lista de favoritos do grupo.

 

Mas apesar dessas canções relativamente recentes, há mais a caminho e não vão demorar muito a chegar: o segundo álbum, "Loceke", é editado já a 28 de Setembro, prometendo acompanhar várias personagens num alinhamento que partiu da morte e do renascimento. E a julgar pelas primeiras amostras, as guitarras deverão ter agora mais protagonismo do que os sintetizadores. Estão no centro do primeiro single, "SICK", em modo especialmente abrasivo, e surgem mais controladas no segundo, "CHARLOTTE", uma das melhores amostras do potencial dos DEN-MATE (e do carisma da vocalista). Ainda assim, electrónica volta a ganhar espaço no terceiro tema de avanço, "XOSO", com uma batida dopada de linhagem trip-hop.

 

Boas amostras são também as actuações da banda de Washington, que parecem convencer tanto num registo mais agitado como tranquilo. É o caso do disparo pós-punk de "POISON IVY" e da contenção acústica de "SAILING", que ficam para ver e ouvir abaixo, depois do videoclip de "SICK" - a trazer o primeiro estudo de personagem do novo disco:

 

 

 

 

Dias de um futuro tremido

Ladytron 2018

 

Inicialmente agendado para o final deste ano, o próximo álbum dos LADYTRON - e o primeiro desde o já distante "Gravity the Seducer", de 2011 - não vai chegar, afinal, antes do primeiro trimestre de 2019. Mas 2018 conta pelo menos com dois singles dos britânicos: "The Animals", revelado em Fevereiro, e o mais recente "THE ISLAND", cujo videoclip estreou esta semana.

 

Assinado por Bryan M. Ferguson, o vídeo torna Glasgow no cenário de uma história de ficção científica que não será das mais originais, mas que pode funcionar como reflexo distópico de algumas tensões dos dias de hoje - sobretudo na forma como as diferenças são encaradas. E nesse sentido, o novo single até está na linha do anterior (e do respectivo videoclip), que já se debruçava sobre os instintos mais primários sem se afastar muito da pop electrónica turva do grupo.

 

"THE ISLAND" será também um dos temas que não deverá faltar nos próximos concertos do quarteto, todos no Reino Unido no início de Novembro, ocasiões para recordar uma das melhores discografias dos últimos anos - e talvez para saber mais do que aí vem, mas que tem demorado a chegar.